Golfe

Recorde de sete portugueses passam o cut no 56º Open de Portugal

Recorde de sete portugueses passam o cut no 56º Open de Portugal

Filipe Lima (Fotografia: Filipe Guerra)

Um recorde de sete portugueses passou esta sexta-feira o cut no 56º Open de Portugal @ Morgado Golf Resort, que termina no domingo, em Portimão, com 200 mil euros em prémios monetários.

PUBLICIDADE

É um recorde nacional em torneios do Challenge Tour e até mesmo do European Tour, superando por um o anterior máximo (de seis) fixado no Madeira Islands Open BPI de 2013.

Os sete golfistas que entram para a história são Filipe Lima, João Carlota e Pedro Figueiredo, empatados no nono lugar, com duas pancadas abaixo do par, Tiago Cruz e Vítor Lopes, empatados em 20º com menos um, e Ricardo Santos e Tomás Silva, empatados em 56º com mais dois, exatamente o limite do cut.

Entre 156 participantes, apuraram-se para o fim de semana 69 jogadores, e entre os eliminados constam Tomás Melo Gouveia, em 76º (+4), Pedro Lencart, em 89º (+5), Miguel Gaspar, em 109º (+7), Tomás Bessa, em 128º (+9), João Ramos, em 137º (+10), e Tiago Rodrigues, em 149º (+13).

O único torneio português do Challenge Tour continua a ser liderado pelo espanhol de 23 anos, Adri Arnaus, agora com seis pancadas abaixo do par, depois de voltas de 67 e 71, dispondo de uma pancada de vantagem sobre o irlandês Gary Hurley, o suíço Joel Girrbach e o australiano de origem grega Dimitrios Papadatos.

A história do dia foi protagonizada pelo campeão nacional Filipe Lima, que recuperou do 68º posto para o nono e se esta quinta-feira estava fora do cut provisório, depois de uma primeira volta em 74 pancadas, duas acima do par, encontra-se agora na luta pelo título, a quatro da liderança.

Tudo graças a uma volta de 68 pancadas, duas acima do par do Morgado Golf Course, o terceiro melhor resultado do dia, só superado pelas 66 de Papadatos e pelas 65 (-7) do inglês Jack Singh Brar, que galgou 99 posições para a oitava (-3).

“Hoje [sexta-feira] não falhei os ‘putts’ pequeninos como ontem [quinta-feira], mas ainda falhei muitos ‘putts’, só meti um de três metros ou mais. O meu jogo comprido está muito bom, quase posso dizer que nunca joguei assim e por isso tenho boas expectativas para o fim de semana”, disse Filipe Lima, citado em nota de imprensa enviada pela Federação Portuguesa de Golfe (FPG) às redações.

Foi a quinta vez e a terceira seguida que Filipe Lima passou o cut no Open de Portugal, ficando a apenas um do recorde de seis de Daniel Silva.

Para João Carlota foi a primeira vez que se qualificou para os dois últimos dias de prova no Open de Portugal e também ele protagonizou uma grande recuperação, de 37º com 73 pancadas, uma acima do par, para o nono lugar, depois de um segundo cartão de 69 (-3), para o mesmo agregado de Filipe Lima, de 142 (-2).

Há um mês foi o melhor português num torneio do Alps Tour em Óbidos e agora está também ele na luta pelo título, num dia em que até fez um ‘eagle’ no buraco 10 de par -5.

Já o algarvio Vítor Lopes, que era segundo no final do primeiro dia (-3), ia bem lançado no top10, quando um duplo-bogey no buraco 7 do campo, o 16º da sua volta, fê-lo tombar para o 20º posto (-1), empatado com Tiago Cruz.

“Fui à água no segundo shot”, explicou o duplo-bogey, mas confiante de que “há mais dois dias pela frente, é sempre positivo passar um cut, sobretudo nestes torneios do Challenge Tour. Objetivos não tenho mas estou a cinco do líder, sei que estou a jogar bem, basta que os ‘putts’ entrem e acredito que vou ter um bom fim de semana”, assegurou o vencedor do Campeonato Internacional Amador de Portugal, que passou pela primeira vez o cut neste torneio, citado na mesma nota da FPG.

A terceira e penúltima volta do 56º Open de Portugal @ Morgado Golf Resort inicia-se este sábado pelas 7.24 horas, já só com saídas do buraco 1, e o último grupo arranca às 12.45 horas.


Mais de Golfe